sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Milão

Desde pequena que tenho um grande fascinio por Itália. Sempre fez parte do meu imaginário romântico. Itália... os monumentos (cheira-se história), as pessoas e a maneira quente como falam, a esbracejar em tom alto, a comida, as scooters que invadem todas as estradas, enfim... a paixão!
Por isso quando me disseram para ir a Milão, saltei de alegria e fiz logo as malas. Era em trabalho, apenas dois dias, mas não interessa, é o suficiente para eu poder "respirar" Itália.
Foi muito melhor do que podia ter pensado que seria. O grupo de trabalho muito bom, a sensação de ter mesmo feito alguma diferença naquela reunião, de poder partilhar o que sei e ajudar. E isso enche.
Tiveram a preocupação de nos levar a jantar, no primeiro dia, a um sitio cuidadosamente escolhido e muito fashion (5 estrelas) e no dia seguinte ao almoço levar a um restaurante tipico (que bela pasta).
Depois do dia inteiro de trabalho, finalmente o momento esperado: poder bater perna e conhecer a cidade. Isto:


.

Não é das cidades mais bonitas que conheço, mas aqui respira-se moda por todo o lado. La Squadra de la Moda é um quarteirão de prédios lindissímos em que porta sim, porta sim aparece uma griffe. D&G, Boss, Gucci, Armani.... tudo se encontra ali, basta ter um cartão de crédito ilimitado :) fabuloso. Simmmmmm eu quero viver naquela cidade e ser muitoooooooooooooooooo rica!
E depois encontrei isto:

É ou não é um pais de fantasia romantica???????
Mas esta é a parte turistica, que toda a gente que vai a Milão conhece.
Eu fui uma priveligiada. Para além do turistico tive oportunidade de conhecer outra Milão.
Fui jantar a um restaurante de um chefe em ascenção. Não vem nas recomendações dos travel books, mas devia.
Pequeno, com paredes forradas até meio de madeira verde. Estantes com livros de cozinha, louceiros dos anos 60 e gente boa, daquela gente italiana que se senta à nossa mesa e nos diz o que devemos comer enquanto serve um vinho que diz ser escolhido especialmente para "pessoas bonitas" como nós. Depois veio o risoto de aborbora com redução em vinho tinto (meu Deus!)seguido de uma carne em molho de caju e baunilha (de chorar por mais) e os miminhos em forma de queijo e enchidos. Claro que isto só foi possível porque o querido Giovanni mostrou o seu mundo. (yes i'm talking about you... told you that i will :)).
Depois foram copos em dois bares muito giros, fashion, como muita coisa em Milão, e a descoberta que as caipirinhas italianas são tão boas como as nossas.
A noite não podia ter acabado melhor. Acabou com o nascer do sol e uma volta de Piaggio por Milão inteiro. Uma Piaggio velha, com alguma ferrugem, mostradores redondos e grandes, a atravessar estradas e caminhos e o sol a nascer timidamente.
Milão foi um sonho de adolescência concretizado. Apetecia-me estar lá e sei que vou lá voltar.

1 comentário:

Peter Pan disse...

Pindérica! Permito-me a estar roidissimo de inveja! humpf! Devia dar-te um desarranjo intestinal lá com o risotto de abóbora... e passear de Piaggio vintage pela Milão antiga ao nascer do sol: AAAARRRGGGHHHHHH! Onde está o meu souvenir, ao menos? ;)