quinta-feira, 24 de julho de 2008

Sentidos

E quando as palavras já foram ditas? Já não há palavras novas? Palavras que se ouviu e que se repetem nos outros, palavras que se dizem vezes sem fim. Juntas fazem frases. Procurar o sentido onde ele não existe, procurar o sentido que lhe deram. As mesmas palavras, vezes e vezes a fio. Uma vez, toma lá este conjunto de palavras e outra vez o mesmo conjunto. Arrumadas, floreadas, arranjadas em bouquet. Oferecidas.
Em catadupla, gritadas,dispersas,caladas. Sempre as mesmas palavras.
Já foram ditas, vezes sem conta. Tomadas como cartão de visita, como inicio, como meio e fim. Dançadas. Sempre as mesmas. De tanto se ouvirem, já não se percebem. Gastas.
E quando as palavras já foram ditas?

2 comentários:

Sónia disse...

É verdade. Palavras e mais palavras. Repetem-se vezes sem conta. Umas ficam gastas e perdem sentido. Outras, ainda que velhas e por mais que pronunciadas, não conseguem acompanhar o significado de quem as diz. Como estas. Gosto de ti, my friend.
Um xi daqueles.
S

Anónimo disse...

A questão está mesmo no título... Sentidos!

O importante é o sentimento com que são ditas. Não quer dizer que sejam falsas quando conjugadas naquela hora, naquele local. Se naquele momento forem sentidas porque não dizer?

Poucos são os autores que inventam palavras. Por isso, é inevitável haver repetições... Nunca deixes de as perceber e, sobretudo, de as sentir!

B

P.S. - nenhum feedback ao outro comentário? ): Assim não sei se posso voltar...